Notícias

Twitter adquire Fabula AI, startup que detecta fake news

By 5 de junho de 2019 junho 18th, 2019 No Comments

Twitter adquire Fabula AI, startup que detecta fake news

Por Claudia Araujo

A rede social Twitter anunciou na última segunda-feira (03) a compra da Fabula AI, startup londrina que desenvolveu uma tecnologia capaz de detectar fake news. Isso é possível graças ao uso de deep learning, tipo de machine learning que treina máquinas para realizarem tarefas como seres humanos.

Essa aquisição acontece em um momento preocupante para a rede social. Segundo estudo divulgado pelo Laboratório de Mídia do Massachusetts Institute of Technology (MIT), no Twitter as notícias falsas disseminam 6 vezes mais rápido que as verdadeiras. Pior: isso não é culpa dos bots, e sim dos usuários.

A disseminação de fake news na rede social

O estudo investigou 126 mil rumores divulgados por mais de 3 milhões de usuários entre 2006 e 2017. Enquanto as notícias falsas alcançaram de mil a 100 mil usuários, as verdadeiras mal passaram dos mil.

E os robôs? Nessa conta, os bots disseminaram notícias falsas e verdadeiras na mesma proporção. Resumindo, quem é propenso a popularizar as fake news são os usuários comuns.

A deep learning da Fabula AI aparece em um momento em que o Twitter tenta conter o compartilhamento de fake news a todo custo. A tecnologia da startup compara o fluxo de disseminação entre notícias falsas e verdadeiras para identificar links e perfis responsáveis por isso. Tal abordagem do problema foca no percurso do compartilhamento e não no conteúdo em si, como outras abordagens fazem.

Atualmente, as redes sociais sofrem com a pressão dos governos para não permitirem que a disseminação de notícias falsas atrapalhem processos políticos usando como argumento a “liberdade de expressão”.

O novo time e a criação de um código de conduta

O Twitter afirmou que os integrantes da Fabula AI vêm para integrar um novo time de pesquisa interna, que será liderado pelo indiano Sandeep Pandey, ativista social e doutor em Engenharia Mecânica. Ele, Michael Bronstein (cofundador e cientista-chefe da Fabula AI) e Federico Monti (chefe de tecnologia) serão responsáveis pela criação de um código de conduta para o uso desse tipo de tecnologia.

Bronstein declarou que todos estão “muito animados para fazer parte da equipe de pesquisa de machine learning no Twitter e trabalhar juntos para aumentar sua equipe e suas qualificações”, principalmente para “aumentar a qualidade da conversa em todo o serviço”.

Melhoria dos recursos

Além do combate às fake news, o Twitter pretende usar inteligência artificial e deep learning para melhorar seus recursos, como a recomendação de conteúdo na seção Explorar, linha do tempo e até o tipo de anúncios exibidos.

Negociação sigilosa

Os termos de aquisição da Fabula AI pelo Twitter não foram divulgados. A tecnologia foi desenvolvida para ser aberta e centralizada, contudo especula-se que ela vá se manter fechada em prol do seu impacto na rede social.

Leave a Reply