Notícias

Uber e rivais terão que converter 40% de suas frotas para carros elétricos na Índia

By 7 de junho de 2019 junho 18th, 2019 No Comments

Uber e rivais terão que converter 40% de suas frotas para carros elétricos na Índia

Por Carolina Bernardi

O segundo país mais populoso do mundo, a Índia, tomará novas medidas para diminuir a dependência de petróleo e a emissão de poluentes. Segundo a agência de notícias Reuters, o país pretende cobrar de serviços de transportes por aplicativos, como Uber e seu concorrente local Ola, que troquem 40% de suas frotas para carros elétricos até o ano de 2026.

A conversão de veículos de combustíveis fósseis para elétricos é, por enquanto, apenas uma recomendação, mas em breve se tornará uma política pública, de acordo com documentos e fontes obtidas pela Reuters. Essas medidas têm como objetivo atingir os parâmetros determinados pelo Acordo de Paris de 2015, com o qual a Índia se comprometeu.

Estes serviços não serão os únicos atingidos pelas novas medidas. Motocicletas vendidas para fins comerciais — como para motoboys e serviços de delivery — deverão ser apenas elétricas, a partir de 2023, e carros, para os mesmos fins, a partir de 2026. Isso atingirá serviços de delivery por aplicativo e e-commerces, como a Amazon.

O comitê que discutiu a implementação dessas novas políticas não se restringiu a veículos comerciais e incluiu também o transporte público. Foi sugerido que o país introduza de forma gradual ônibus elétricos nas cidades, chegando a marca de 30% da frota até o ano de 2026.

O exemplo chinês

A sua vizinha, China, tem liderado na conversão para veículos elétricos. Isso aconteceu com imposição de metas de eletrificação para as fabricantes de carros no país e oferta de incentivos para que as empresas de serviços de transportes façam a atualização de suas frotas.

Para fins de comparação, em 2018 a China vendeu 1,3 milhão de carros elétricos, enquanto a Índia vendeu apenas 3,3 mil. Isso representa apenas 0.1% dos 3,3 milhões de carros vendidos para os indianos no mesmo período.

Dificuldades de implementação

A concorrente da Uber no país, Ola, já havia tentado utilizar carros elétricos na cidade de Nagpur, na Índia, em um projeto de 2017. Entretanto, os altos custos operacionais e as poucas estações de carregamento fizeram com que os motoristas escolhessem voltar para os veículos a gasolina.

Outro problema é que apenas 2 empresas no país produzem e vendem carros elétricos, o que pode dificultar o alcance das metas propostas pelo governo. A Ola, porém, está buscando fundos de capitais de investimento e parcerias com empresas sul-coreanas, como a Hyundai e a Kia, para construir veículos elétricos indianos, o que poderia baixar os custos de aquisição de carros do tipo.

Leave a Reply